quarta-feira, 5 de abril de 2017

Força & Honra - Hardcore

A entrevista da vez é com a banda de Hardcore Força & Honra que lançou recentemente o seu primeiro vídeo clipe da musica “Orgulho”. Foi formada em 2014 por amigos que tinham o ideal de fazerem um som diferente de suas atuais bandas. Confiram a entrevista concedida pelo Marcão vocalista da banda.



OPDM - Marcão nos conte como foi o início do Força & Honra, vocês já tinham outras bandas na época? 

Marcão - Quando a minha antiga banda o Comando Delta acabou, decidi que queria fazer algo novo dentro do Hardcore. Um dia conversando com o Marcelo ,ele me disse queria tocar guitarra já que no Prol ele canta, então chamamos o Daniel que na época tocava bateria com o 8mm pra batera e o Rafael do Gamberinos 74 pro baixo.Da aí começam os o Força & Honra.

OPDM - Como é a forma de composição da banda? O que vocês procuram abordar em suas letras?

Marcão - Nossa composição é assim, normalmente Marcelo e Eu aparecemos com alguma coisa escrita, formatamos isso pra que fique de uma maneira que nós achamos boa e a parte da melodia eu deixo pros caras, até não manjo muito disso rs. As letras no caso falam do nosso dia dia, amizade e auto ajuda.



OPDM - Rafael Parra da 43% Burnt Records foi quem gravou e mixou o primeiro Full Álbum da carreira do Força & Honra, intitulado de “Sangue, suor e lágrimas”. Como foi a experiência de gravar esse disco e como foi a repercussão desse álbum no cenário do hardcore ? 

Marcão - A experiência foi muito foda, o Rafael Parra é um puta do profissional o disco ficou melhor do que a gente pensava. A repercussão tem sido legal, rodamos muito aqui no Rio de Janeiro ano passado. Fizemos quatro shows em São Paulo, um deles no Stage Dive com Worst, rolou em Campinas também com Ragar e Canon of Hate e em Mogi das Cruzes, com nossos irmãos do Refúgio e Mar Morto.

OPDM - A saída do Daniel da banda, nesse momento em que vocês estão lançando um trabalho que é super importante para o crescimento da banda, dificultou o processo de divulgação? E como foi a entrada do Felipe (New Day Rising), tem sido positiva sua presença na banda? 

Marcão - A saída do Daniel não dificultou em nada. O Felipe é um cara que só soma, apesar da pouca idade é uma cara que tem muita responsabilidade.



OPDM - Esse ano vocês lançaram o primeiro vídeo clipe da carreira da banda, da musica “Orgulho”, gravado pela KRX Vídeos clipe. Como foram as gravações, onde foram feitas e como tem sido a aceitação do público? 

Marcão - As gravações foram descontraídas e bem tranquila, o Marcus manda muito bem. Rolou gravação em diversos lugares, gravamos a maior parte no Aterro do Flamengo, rolou gravação no Subúrbio Alternativo, Estúdio Hr, Planet Music, Sinuca Tico e Taco, Estúdio via Lactea e em Mogi das Cruzes. Aparentemente a galera tá aceitando legal, muito gente viu nosso clipe Facebook, no nosso canal do Youtube e também no Hardcore World Wide.

OPDM - Para encerrar a entrevista gostaria de agradecer imensamente a você Marcão e a toda banda Força & Honra pelo tempo concedido ao blog Death Mask. Deixo aqui um espaço para que você possa nos contar sobre o futuro da banda, agenda de shows e deixe uma mensagem para a galera que é fã de vocês!! 

Marcão - Primeiramente queria agradecer a você Bia e ao Blog Death Mask pelo espaço. Esse ano Pretendemos viajar pelo Brasil inteiro e quem sabe fora do país também. No mais agradecer a galera que nos fortalece nos shows, comprando nosso Merch, aos produtores que nos dão espaço.

Links da banda:




Fiquem com o vídeo de "Orgulho"
Até a próxima semana!





Por Bia Coutinho

Bia Coutinho é uma desenhista, tatuadora e body piercing Carioca, de Duque de Caxias. Vocalista da banda Mysttica e atual baixista da banda Machine of War, Bia Coutinho é frequentadora da cena Metal Carioca desde a sua adolescência.


quarta-feira, 29 de março de 2017

Disola - Hardcore/Punk com muito peso e irreverência

Fala galera!! A entrevista da vez é com a banda Disola, formada em 2013, os meninos Diego (Suffer, Gambrinos 74, ex- Os 138), Junior (DZP) e Alan (DZP) vieram com uma proposta mais engraçada para a banda, com raízes no hard core e no punk rock, o que era pra ser um projeto paralelo virou a banda Disola. Confiram a entrevista a seguir.





OPDM - Como foi no montar o Disola? Vocês já tinham esse objetivo ou era tudo diversão no início? 

Junior: Acho que é até hoje...(Risos), Nós queríamos fazer algo paralelo as nossas bandas, fazer algo diferente, mas acabou virando algo diferente com influências do que já fazíamos... mas sem aquela pressão de soar assim ou assado, passar mensagem, fazer poesia... Barulho, curto e grosso pra se divertir e pronto!



OPDM - E quem acompanha a banda sabe que as letras são curtas e diretas mas, muito engraçadas. Como é a forma de composição da banda? 

Junior: Não temos uma fórmula! Algumas estavam na gaveta das nossas outras bandas... O Processo é livre, os 3 tem essa liberdade, mas o Alan é mais de dar ideias ou contar umas histórias toscas que eu e Diego transformamos em música... A maioria nasce assim! Também tem algumas que são homenagens aos amigos... (Risos), Ninguém pode passar por esse mundo sem ter sido zoado... muito menos os amigos! (Risos)

OPDM - Nos conte o que inspirou a banda a escrever “Boca dando bote”? 

Junior: Essa é um exemplo de música que saiu das histórias toscas do Alan! (Risos) E é de um antigo emprego q ele trabalhava de fiscal de loja e recebeu um chamado para verificar uma movimentação no estoque da loja... (Risos). É só ler a letra que a história tá ali...

OPDM - E finalmente em 2014 vocês lançam “10 Minutos ou 2 Gols” nos conte como foi a experiência de lançar esse EP, que recebeu muitas criticas positivas mesmo sendo o primeiro trabalho da banda. 


Junior: Foi muito bom! Lançamos o EP pra ter um registro, pra ser uma demo do projeto... até mesmo porque não sabíamos quanto tempo iria durar... mas ela realmente superou as expectativas de crítica, de downloads, de views no Youtube e venda de CDs físicos. O EP era pra ter só 2 músicas... Acabamos fazendo a música com o nome do EP, viraram 3 músicas... E no dia das gravações decidimos gravar logo as 5 que estavam redondas...

OPDM - Em 2015 a banda lança dois clipes produzidos pelo fotógrafo Rafael Capella “Vai cuidar” e “10 Minutos ou 2 Gols”, como foi pra uma banda que se iniciou numa brincadeira lançar dois clipes e ter uma ótima aceitação do público? 

Junior: O primeiro é bem Disola né? Na frente da minha casa, com churrasco rolando e muita cerveja! Sem pretensão nenhuma... Rock rolando solto na calçada! O Clipe da "10 Minutos ou 2 Gols" foi por acaso... o Rafael Capella, amigo de longa data, estava afim de começar a produzir Clipes também e perguntou senão queríamos ser suas cobaias... e o Clipe ficou foda! Superou todas as expectativas, por ser uma banda nova, que nunca havia feito um clipe e com um cara produzindo que também nunca tinha feito um clipe! Até hoje é o nosso preferido! Já o clipe da "Vai cuidar" o Capella já estava mais experiente, e você vê até que é melhor produzido, numa casa que é do caralho, que é o Studio B, mas foi prejudicado pelo primeiro... A repercursão do clipe da "10 Minutos" foi muito acima do esperado e recebemos elogios até hoje.



OPDM - Como se ocorreu a entrada para a Liga Hardcore, e nos conte um pouco como funciona esse projeto? 

Junior: Nem nós sabemos... (Risos) A liga HC é um projeto que visa isso né? A união das bandas independentes aqui do Rio de Janeiro. E acho q foi isso, a amizade que rolava do Disola com várias bandas que fazem parte desse coletivo acabou nos aproximando e a entrada nos proporcionou conhecer e fazer amizades com mais bandas ainda.

OPDM - Vocês também participaram da coletânea física e virtual “Liga Hardcore RJ-volume 1”, e tem participado ativamente de shows, sites e outros da mesma. Na sua opinião, como projetos como este podem vir ajudar bandas da mesma vertente do Disola? O que você pode nos falar sobre a cena underground do Hardcore? 

Junior: A ideia é essa mesmo... União de bandas pra realizar eventos, intercâmbios, coletâneas, um divulgar o outro, as vezes certa banda não pode tocar e vê quem está interessado em substituí-la, ou sabe de um evento que está rolando e passa o contato pros outros... saca? a parada tem que servir pra isso, um ajudando o outro, e eu acho isso muito importante... A coletânea mesmo acaba sendo uma banda mostrando as outras pro seu público... O Disola mostrou 24 bandas pro seu público que por sua vez também mostraram o Disola para os seus! Eu vejo mais união na Cena Underground que nos anos anteriores, mas pode ser também que vejo isso porque fiz mais amigos... né?(Risos). Mas cara, sempre vai ter a galera que está pra desagregar, pra atrapalhar e ficar de mimimi... o importante é correr com quem está afim de fazer o inverso, de quem está afim de somar, de união e respeito!



OPDM - Para finalizar a entrevista gostaria de agradecer imensamente pelo tempo concedido ao blog Death Mask, e deixo aqui um espaço para que você possa falar um pouco sobre o futuro da banda, e deixe uma mensagem pra galera fã de vocês!! Junior: Poxa... nós que temos que agradecer pelo espaço e pela entrevista! Sobre o futuro a galera pode ficar tranquila que o Disola deu uma pausa, mas não morreu!!! (Risos), Acho que até o fim do ano sai coisa nova, já tem coisa na agulha e músicas que não gravamos desde 2014, mas que já rolam nos shows... E vão ser lançadas com certeza! Ainda não sabemos se em forma de EP ou CD, Físico ou Virtual... mais vai sair!

Confira o clipe de "10 minutos ou dois gols":



Links do Disola:


É isso ai galera, ficamos por aqui com mais uma matéria, mais uma banda excelente para você. Curta nossa página, compartilhe para seus amigos e contribua com nosso trabalho e o trabalho das bandas. Forte abraço e até a semana que vem!!




Por Bia Coutinho

Bia Coutinho é uma desenhista, tatuadora e body piercing Carioca, de Duque de Caxias. Vocalista da banda Mysttica e atual baixista da banda Machine of War, Bia Coutinho é frequentadora da cena Metal Carioca desde a sua adolescência.